Pertencer: “A convidada do casamento” | Carson McCullers

O título original em inglês deste livro indica muito mais as questões postas nesta obra da Carson McCullers: The member of the wedding (1946) aponta para ser parte, elemento, integrante do evento – no caso, o evento do casamento.

A convidada do casamento, Carson McCullers (The memeber of the wedding)

Acompanhamos Frankie, uma pré-adolescente em uma cidade pequena do sul dos Estados Unidos, que mora apenas com seu pai. Ele, no entanto, praticamente não aparece: na vida de Frankie parece haver apenas a a cozinheira negra Berenice e seu primo pequeno, John Henry West. Um dia, no meio das férias de verão, seu irmão que mora em outra cidade aparece com a noiva que ninguém conhecia anunciando o casamento.

Dentre os vários tópicos que A convidada do casamento pode trazer a discussão (crescer, o fim da infância, a cidade pequena, o racismo, o momento e local históricos, a condição da mulher), eu fiquei pensando bastante no título. Em diversos momentos Frankie fala sobre clubes dos quais ela queria ou poderia fazer parte. Da turma que ela já teve, mas a qual não pertence mais.

Não pertencer, mas querer pertencer. E mais ainda: compartilhar experiências, emoções, sentimentos com outros – dividir algo com outras pessoas para saber que estamos aqui, que estamos no mundo e que somos reais. Tenho pensado em questões parecidas ultimamente. A gente chega inevitavelmente em um ponto da vida a partir do qual fica cada vez mais difícil encontrar pessoas com as quais temos alguma coisa em comum: passamos da escola, da universidade, dos empregos onde a maioria está na mesma fase… Entramos (eu pelo menos) eventualmente em um momento funil, cada um voltando-se para seus próprios interesses e questões pessoais. Um momento de percepção e realização da solidão, talvez porque vamos nos dando conta cada vez mais (ou menos? Não sei) do que somos, do que queremos ou não… Mas persiste a vontade de compartilhar, parece, para existir.

Carson McCullers

Se normalmente vemos personagens que se destacam da multidão, e se geralmente nós mesmos parecemos buscar aquele elemento que nos distingue do resto, que nos torna especiais, o que McCullers enfatiza aqui é justamente essa necessidade de ter algo em comum com os outros – mas mantendo a individualidade. Difícil.

Este foi meu primeiro contato com a Carson e gostei bastante, embora este seja dos livros que vão crescendo após a leitura. Fiquei pensando na Frankie, em querer que as pessoas entendam algo profundo de nós mesmos que nem a gente sabe o que é. A sensação de um mundo que passa rápido, mas com uma insuportável sensação de monotonia.


Título: A convidada do casamento
Autora: Carson McCullers
Ano de publicação:  2008 (original de 1946)
Editora: Novo Século
231 páginas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *