2017

Livros lidos em 2017, por ordem de leitura (dos mais antigos para os mais recentes) com links para aqueles que tiveram resenha no blog. Estão apenas links para resenhas específicas dos livros, não há referência a mini-resenhas publicadas em retrospectivas do mês ou em posts temáticos. Livros com os títulos da edição lida. No caso de livro lido em língua estrangeira, o título traduzido se encontra entre parênteses.

A resistência, de Julián Fuks

O livro das ignorãças, de Manoel de Barros

O tribunal da quinta-feira, de Michel Laub

O capote e outras histórias, de Nikolai Gógol

The ballad of the sad café and other stories, de Carson McCullers (A balada do café triste e outras histórias)

The tenant of Wildfell Hall, de Anne Brontë (A inquilina de Wildfell Hall)

A cor púrpura, de Alice Walker

A amiga genial, de Elena Ferrante

História do novo sobrenome, de Elena Ferrante

Uma noite na praia, de Elena Ferrante

História de quem foge e de quem fica, de Elena Ferrante

The handmaid’s tale, de Margaret Atwood (O conto da aia)

Vermelho amargo, de Bartolomeu Campos de Queirós

Os livros que devoraram meu pai, de Afonso Cruz

A cabeça do santo, de Socorro Acioli

Dear Ijeweale, or a feminist manifesto in fifteen suggestions, de Chimamanda Ngozi Adichie (Como educar crianças feministas)

A filha perdida, de Elena Ferrante

História da menina perdida, de Elena Ferrante

A morte e a morte de Quincas Berro D’Água, de Jorge Amado

Presos que menstruam, da Nana Queiroz

A field guide to getting lost, da Rebecca Solnit

The lonely city, da Olivia Laing

Butcher’s Crossing, de John Williams

O ano do pensamento mágico, da Joan Didion

Flâuneuse: women walk the city in Paris, New York, Tokyo, Venice and London, da Lauren Elkin