[Instabook] A filha perdida | Elena Ferrante

Ah, Ferrante… Tenho a sensação que ela escreve e reescreve a mesma história o tempo todo, mas sempre saem coisas diferentes. Se repetem temas, sobretudo a maternidade, a mulher madura e sua relação com a velhice, a amizade entre mulheres. Parecem exercícios de escrita. Deixam claro como o escritor inventa, como mudar um ponto, uns pontos, pouco ou muito, leva a narrativas diversas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *