Como falar de uma obra: indicações de canais do YouTube e os ensaios em vídeo

Quando comecei este blog não chamava o que publicava de resenhas. E foi um movimento curioso, porque a partir de uma discussão em rede passei a usar esta palavra, o que também fez com que eu, até inconscientemente, caminhasse mais e mais para a própria obra, fechando os comentários em cima do texto, tentando, na verdade, cumprir com o que eu achava que uma resenha deveria ser.  O tema dá pano pra manga, mas o que me fez repensar sobre as resenhas não foi propriamente nenhum brado de autoridades da área, mas um incômodo pessoal: não era aquilo que eu queria fazer. Eu não queria analisar uma obra literariamente, eu queria pensar aquela obra a partir de qualquer ponto que tivesse me chamado a atenção, e discutir aquilo. Eu queria ser capaz de construir um pensamento em cima daquilo que eu tinha lido – neste sentido, o blog também era para ser um exercício.

Se eu cumpro ou não estes desejos, já é outra história. Mas esse tipo de reflexão aprofundada sobre um tema a partir de uma obra tem cada vez mais me chamado a atenção. (Para alguém que faz isso de maneira muito competente, deixo a indicação (se é que alguém ainda não conhece) da Maria Popova em seu ultra famoso Brain Pickings.) Tenho me interessado por livros de não-ficção e criado um gosto especial pelas memórias, diários e, recentemente, pelos ensaios. Os ensaios me trazem um prazer especial porque é como uma conversa, onde vamos acompanhando a construção de uma ideia, de um pensamento, sem apegos às normas acadêmicas mas que ainda assim trazem referências as mais diversas daquilo que o autor vai recortando do mundo e reagrupando.

Parte deste meu caminho através dos textos que se aproximam mais do ensaio tem sido traçado, contudo, através de vídeos que falam principalmente sobre cinema (ou outras mídias audiovisuais). Os vídeos dos canais indicados são interessantes porque costumam fazer análises não somente do conteúdo – o tema -, mas também da própria mídia, da construção de um filme e como todos estes aspectos se relacionam. Mais ainda, vários vídeos se concentram em um tema mais geral, uma problemática construída a partir do mergulho em um ponto específico de algum filme. Nem tudo o que está abaixo é um ensaio em vídeo, mas todos compartilham desta ideia de pensar mais profundamente algum produto cultural, ou de tentar evidenciar os sentidos que pode não estar tão óbvios.

Nerdwriter

Se você não está com vontade de ver mais nada desta lista, veja pelo menos este canal. Ele é provavelmente o que melhor representa essa ideia de desenvolver um tema (aqui, um tema dentro da discussão sobre cinema) a partir de uma obra específica. Ele é mesmo o vídeo-ensaio. Há uma enorme variedade de temas nos vários vídeos já criados por este canal, e eles de fato enriquecem a experiência de assistir a um filme.

Wisecrack

Este canal é bem famoso, até porque eles têm várias “séries”, tipos diferentes de vídeos voltados não somente para filmes e séries, mas também para literatura (os vídeos Thug Notes são hilários e com conteúdo). O foco é mais no conteúdo e menos no fazer em si da obra (como é o caso do Nerdwriter), mas são análises tão profundas quanto vídeos de 10 a 15 minutos conseguem ser, e embasadas em discussões mais amplas das humanidades.

Lindsay Ellis

Eu cheguei no canal da Lindsay Ellis justamente por este vídeo. Como tantos outros desta lista, ela é estudante de cinema (talvez a esta altura já tenha se formado) e, para minha alegria, faz várias análises de animações da Disney. Acho que por isso gostei do canal dela, que tem um olhar muito crítico do estúdio, mas que, assim como eu, também cresceu com aqueles desenhos, tem afeição por eles e assim também reconhece seus méritos. Gosto do fato dela falar bastante das produções que são bem populares (como Transformers – ela fez uma série de nada menos que 5 vídeos dissecando os filmes desta franquia), em uma aproximação compreensiva para pensar porque fazem tanto sucesso filmes que são destruídos pela crítica.

ScreenPrism

Este também é um canal mais variado, mas costuma lançar vídeos que tentam abstrair uma discussão um pouco mais abrangente sobre o cinema, a construção de uma narrativa e a indústria cinematográfica a partir dos produtos que temos em mãos. 

Existem vários outros canais no YouTube que são igualmente bem produzidos (estarão todos os estudantes de cinema investindo nestes canais?) e se propõem a discutir não apenas um filme, mas o cinema e a arte de contar histórias através do audiovisual. Estes são apenas alguns dos que mais assisto. Aceito sugestões, sempre. 😉

 

* Imagem destacada retirada do site Film Scalpel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *