[Instabook] La ridícula idea de no volver a verte | Rosa Montero

Toda vez que (re)leio Zambra fico pensando sobre o ato de escrever. Fico pensando que eu queria escrever daquele jeito, mas é claro que eu não escreveria (nao sei o que eu escreveria). A Rosa Montero, nesse livro inclassificável (porque me recuso a pensar nele simplesmente como um livro sobre luto, apesar de ser também), me fez pensar justamente sobre a liberdade de escrever, sobre as possibilidades da escrita. "¿No has sentido nunca la insidiosa tentación de dejar de ser quien eres? ¿De liberarte de ti mismo?" Resposta: sim. * PS: que capa linda. Me lembrou os versos de uma música que diz "yo me iré / como el humo al aire / que no podrá volver / me haré un tornado dulce / un perfume, una piel".

Uma publicação compartilhada por oliviabiba (@oliviabiba) em

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *